Música relaxante: a melhor lista de reprodução de relaxamento

‘Chill out music’ pode evocar visões de casa ambiente e canto de baleias, mas música relaxante não significa necessariamente papel de parede aural. Se você precisar de alguma ajuda de áudio para se realinhar – seja música de meditação, música do sono ou música de estudo – em seguida, ligar um par de fones de ouvido com cancelamento de ruído e pressione jogar em nossa lista de reprodução de música relaxante perfeita. É sequenciado por três horas de escuta contínua, com capítulos super-friodedicados ao jazz fresco, acústica e muito mais. Achamos que é a melhor maneira de manter a cabeça na cidade.

CLIQUE NO VÍDEO PARA TRÊS HORAS DE MÚSICA RELAXANTE

OU OUÇA A LISTA DE REPRODUÇÃO DO SPOTIFY

Veja o que está em nossa playlist de relaxamento:
Música relaxante

‘Troca’ – Ataque Maciço
Simplificando, isso é o que os melhores comerciantes de vibração de Bristol fazem melhor: pegue um loop de Isaac Hayes, adicione algumas batidas suaves e os vocais de Horace Andy e trabalhe-o em uma obra-prima feliz.

‘Bug Powder Dust’ – Bomb The Bass (Kruder & Dorfmeister Dub)
Os laços de baixo profundo e synth gloopy permeiam esta fatia satisfatoriamente fria do hip-hop downtempo, remixada pela dupla austríaca Kruder e Dorfmeister.

‘Soldissimo’ – Etienne De Crecy e Air
Neste corte do álbum conceitual dos anos 90 ‘Super Discount’, uma linha de baixo jazz-funk vagueia por uma paisagem de sintetizadores doces e texturas wah-wah como Nina Simone doomily intones: ‘Eu costumava ver prazer …’

‘Nova’ – Amon Tobin
Este esforço tonto do produtor eletrônico brasileiro Amon Tobin é suficiente para acalmar os nervos até mesmo do mais estresso de cabeças de estresse. Ancorada por uma linha de baixo indutora de transe, ‘Nova’, a última faixa do álbum de 1998 ‘Permutações’, lenta mas seguramente sobe para a estratosfera, carregada no alto por uma linha de sax limítrofe e vibrações celestiais. Amém.

‘Autumn Leaves (Irresistível Force Chill Mix)’ – Coldcut
O padrão de jazz assombroso e muito coberto (Frank Sinatra, Mark Lanegan… patricia Routledge) recebe uma reforma ambiente. A dupla provoca a melancolia arejada do original com cordas mesméricas e padrões de sintetizadores ondulantes.

‘Age of Consent’ – Nova Ordem (Howie B remix)
Dance-rock ido desonestos. O riff de guitarra twanging do original e padrões de bateria coceira são substituídos por um dirge synth de duas notas, baixo profundo e – Jesus Cristo todo-poderoso – bongos, para monged fora efeito. O que Ian Curtis diria?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *